Pedro e o lobo

teu grito fingido
de socorro ecoará
aflito como um
cordeiro pela última
vez no horizonte
e serás mantido
em segredo isolado
num quarto negro ou
acolchoado de algum
hospício sem nome
quando o povo pacífico
do vilarejo descobrir
que és o próprio lobo
travestido de homem.

1822

– companheiros

desconfio que
entre nós só haverá
ordem e progresso
quando resolvermos
trocar os versus
pelos versos.

Pandora

ao violar a promessa
sagrada e destrancar
a trava de ouro etéreo
com a chave de ferro da
curiosidade ao invés de
todos os medos e males
do mundo ocidental
saíram de dentro
da caixa misteriosa
embalagens viscosas
de balas de caramelo
diários abertos em
páginas proibidas
figurinhas repetidas
furtadas dos colegas
do colégio panfletos
aleatórios colecionados
sem motivos concretos
fragmentos verdes-
esmeralda e roxos
acinzentados de uma
aurora boreal bilhetes
não enviados para
amores secretos e
uma baleia jubarte
em tamanho real.

homo poiesis

tudo que respira
inspira.

praça prisma

fiz uma casa pra mim na fresta do banheiro
uma cidade inteira
e uma casa com tapete vinho
cadeiras velhas e janelas
dispostas em ordem alfabética
e almofadas amarelos mostarda
manchadas de vinho

uma casa na fresta do banheiro
e uma cidade inteira dormindo
à espera de qualquer feriado
pra comprarem comidas típicas
nas barraquinhas da praça Osório
como quase fizemos naquele episódio
em novembro do ano passado

fiz uma casa pra mim na fresta do banheiro
de paredes turquesas e goteiras verdes musgo
e um pedaço de madeira que eu achei no lixeiro
pra gente chamar de mesa
e pôr as sacolas do mercado

na fresta do banheiro da casa que eu fiz
à espera de uma nova estação
em almofadas de algodão
manchadas de vinho uruguaio
uma cidade inteira dormindo
“só mais quinze minutos, raios!” eles dizem
porque amanhã não é maio
e hoje ainda é domingo

Cairo

mesmo com a fuga do tempo
pelas fendas da ampulheta
após tamanha catástrofe
ainda haverá decerto
duas borboletas escarlates
vindas de plutão ou de marte
a povoarem uma flor violeta
semeada pelo vento
no coração do deserto